terça-feira, 8 de julho de 2008

Otto apresenta música nova em show no Studio SP

A julgar pelo show na madrugada de sexta para sábado do dia 21 de junho, em São Paulo, as noites do cantor e compositor Otto têm sido perturbadoras. Não pela falta de boas companhias. Com Fernando Catatau e Junior Boca nas guitarras, Curumin na bateria, Ganjaman no teclado e Marcos Axé na percussão, pode-se dizer que o pernambucano tem uma das melhores bandas do Brasil.

Os distúrbios que lhe fazem acordar, ou melhor, viver como personagem de sonhos intranqüilos parecem estar no seu inconsciente. Como conseqüência óbvia, notam-se alguns excessos que, no Studio SP, prejudicaram a sua voz, para ficar apenas no elemento mais importante para um cantor. Por exemplo, fumar cigarros enquanto canta.

Em shows anteriores, os exageros psicotrópicos do cantor faziam parte da festa e não chegavam a prejudicá-lo. Uma apresentação de Otto se vale principalmente pelo divertimento que ele -com suas músicas de poética peculiar e a sua banda- proporciona aos seus convidados. Mas já faz algum tempo que Otto vem sendo acometido por sonhos intranqüilos. Pelo menos desde 2005 já estava definido o nome de seu quarto disco cuja produção já foi finalizada, mas ainda não foi lançado. Certa Manhã Acordei de Sonhos Intranqüilos é inspirado na frase inicial de A Metamorfose, livro de Franz Kafka em que o personagem principal acorda transformado no mais repulsivo dos insetos.

Para quem vem de um disco Sem Gravidade representa uma verdadeira mutação. Naquela madrugada no Studio SP, Otto se debatia no palco, mais do que pulava e dançava, o que também fazia, mas sempre com um certo travo. Desengonçado ele sempre foi, mas o sentimento era o de inadequação, tal qual um personagem kafkiano. Como quem aos poucos se acostuma a uma nova identidade, do meio para o fim Otto foi adquirindo a fluência de palco natural à sua performance.

Então, veio a primeira música do disco novo. A letra e a melodia de "Filha" revelam uma certa melancolia incomum às antigas canções de Otto. Aparentemente, é aí que se opera a metamorfose do cantor, mas é preciso esperar o disco na íntegra para saber até que ponto há realmente uma tranfosrmação. Ainda sobre a música, apesar do título, ela parece se referir antes à mãe do que à filha. Tirem vocês as próprias conclusões:

Otto - Filha - Studio SP, 21/06, 2:30 a.m.


Antes de apresentá-la, Otto abriu ao público suas dúvidas a respeito do lançamento de Certa Manhã Acordei de Sonhos Intranqüilos. Produzido de forma totalmente independente por ele e por Pupillo, sem gravadora, o disco não tem uma plataforma definida para o lançamento. Otto diz estar pensando em liberá-lo de graça nas redes da internet. Quando? Imprevisível, bem ao estilo Otto.

2 comentários:

Dnardi disse...

Seus sonos intranquilos tem porque ser. Sua melodia transformadora tem lugar no coração. Um homem atormentado, que sofre de ou por amor.
Que os psicotrópicos libertem a oscilação de sua metamorfose e proporcione sempre, e cada vez mais intensamente, a perturbação e os sonos intranquilos pelos quais passa o coração.
salutos desde acá
dnardi

Caio disse...

A tristeza em sua vida tem razão de ser. Saiu hoje na coluna da Mônica Bergamo, na Folha, que ele e a Alessandra estão separados. Então tá.