segunda-feira, 22 de junho de 2009

CéU: segundo disco sai em julho

O nome é Vagarosa, referência ao tempo "caymmiano" de levar a vida e a carreira próprio da cantora e compositora. E o lançamento do segundo disco de Céu está previsto para o fim do mês de julho, através do selo Urban Jungle, com distribuição da Universal Music.

Quando estive em São Paulo gravando com Céu e Beto Villares para o Pelas Tabelas, em abril, ela pouco falou sobre a musicalidade do segundo disco, além de que se tratava de uma nova fase musical - em uma palavra, definiu-a como "jamaicana". Mas assumiu estar em dúvida sobre a melhor maneira de lançar o novo trabalho.

Céu e Beto Villares no estúdio Ambulante

As sessões de gravação ainda rolavam na noite de 29 de abril, com a participação de integrantes da Nação Zumbi, quando, antes de abrir as câmeras, conversando informalmente sobre o disco, ele colocou em cheque a viabilidade econômica (incluídas aí as questões de logística de lançamento e principalmente de distribuição) de lançar o novo disco de forma independente. Mais do que isso, na atual fase de transição do modelo de negócios da música, que tanto ela quanto ele consideram inexoráveis, em que o suporte físico vem sendo trocado pelo digital e a pirataria é um vetor fundamental ao sucesso e à propagação das músicas, Beto se revelou confuso sobre a melhor forma de lançar o novo conjunto de canções. Se diretamente pelo sistema de download legal - como acabou sendo feito com o EP Cangote nos Estados Unidos, através da Six Degrees Records -, cedendo os direitos de distribuição a uma grande gravadora, ou simplesmente disponibilizando as canções aos poucos através do site do estúdio.

A única certeza era de que o selo Ambulante havia ficado pequeno para lançar o novo disco. Não tem a estrutura necessária para divulga-lo e distribui-lo, dado o patamar alcançado por Céu entre o primeiro disco e agora. A estreia, de 2005, fora lançada pelo selo oriundo do estúdio Ambulante, que Beto mantém em parceria com Antônio Pinto. Depois de ultrapassar a marca de 12 mil cópias vendidas, passou a ser distribuído pela Warner, que, muito antes fizera uma proposta, recusada por Céu, para que ela assinasse contrato com a gravadora.

No dia seguinte, Céu revelou ainda o porquê de o disco dos Sonantes não ter sido lançado no Brasil. A banda preferiu recusar um contrato de lançamento que repassaria à gravadora os direitos sobre o disco do que lançá-lo com uma tiragem de mil cópias que, uma vez esgotada, significaria o engavetamento do disco por tempo indeterminado. Então, está na rede, grátis, pirata e perene, ao alcance de quem quiser.

Um comentário:

Priscilla Rodrigues disse...

Parceria perfeita esses dois.Muita sensibilidade junta. Adoro!